PUB
                             
Tendências / Desfiles - 08.01.2019

A Chanel terminou o ano com um anúncio que deixou o mundo da moda de queixo caído. Seguindo o exemplo de grandes marcas, como Diane von Fürstenberg, a marca francesa anunciou que irá abandonar a utilização de peles de animais exóticos (como cobras, crocodilos, lagartos ou tubarões) nas suas coleções.

Esta decisão deveu-se, em grande parte, ao facto da Chanel procurar tornar-se mais sustentável a nível ambiental, tomando medidas que fossem ao encontro dos princípios da empresa, uma vez que se tem tornado cada vez mais difícil a obtenção, de forma ética e responsável, deste tipo de materiais para a confeção de peças.

Desde 2015 que a organização não governamental PETA (People for Ethical Treatment of Animals) procurava negociar com a marca o abandono do uso de peles de animais nas suas peças, sendo que só agora foi possível a obtenção de uma resposta positiva. Surpreendendo tudo e todos, em particular os defensores dos direitos dos animais, a Chanel dá mais um passo para a crescente consciencialização da indústria da moda no que toca à obtenção de recursos para as suas coleções, abrindo cainho para que outras marcas de luxo sigam este exemplo.

 

 

Artigos relacionados...

Louboutin cria babouche em parceria com hotel marroquino

Modelo tradicional e exclusivo do Royal Mansour Marrakech

A nova era de Chanel

Apresentação da coleção Cruise marca o fim de um ciclo

Prada apresenta protesto contra os excessos

Desfile da marca italiana na sede de Nova Iorque

Os primeiros looks da red carpet de Cannes

A 72.ª edição do Festival de Cannes decorre até 25 de maio

Tem-Plate eleva o nível da moda e do luxo

Conheça a nova concept store de Lisboa

Os Mais Vistos

Lifestyle

Cinco viagens de sonho para este verão

Lifestyle

Nova versão atinge 325 km/h, e faz 2,9 segundo dos 0 a 100 km/h

F Luxury no Instagram